Sequestro de Carbono Florestal

Este assunto reforça sobre a importância do Manejo Florestal Sustentável, pois as florestas através da fotossíntese detêm o carbono, e lançam oxigênio na atmosfera. Representa a estocagem segura e a captura de gás carbônico, evitando sua emissão e permanência na atmosfera terrestre. Neste ponto inicial tanto a superfície do mar quanto a floresta tropical, possuem a capacidade de absorver o gás carbônico da atmosfera. Este mecanismo é considerado como “sequestro de carbono”. 


O processo é bem claro, na fase de crescimento entre as árvores, elas captam uma quantidade significativa de carbono, para expandir e acabar eliminando esse elemento do ar. Este acontecimento de forma natural ajuda a dirimir a quantidade de CO2: cada hectare de floresta em desenvolvimento é capaz de absorver nada menos do que 150 a 200 toneladas de carbono. Uma floresta com árvores jovens que cresce aceleradamente, sequestra maiores volumes de carbono comparada à floresta madura. Ao estocar carbono, a floresta madura tem a principal função de um reservatório, mesmo que não esteja no processo do crescimento líquido. Desta forma a árvore mais jovem estoca menos carbono, com relação à floresta madura, portanto sequestra mais carbono da atmosfera ao decorrer do tempo. Agora a floresta madura continua a armazenar grandes volumes de carbono em sua biomassa durante muito tempo, apesar de não capturar “novo carbono”, pode se tornar fonte de emissão de carbono pelas mortes ou outros eventos naturais. 

A importância do Manejo Florestal no sequestro de carbono: 

 
O Manejo Florestal Sustentável apresenta duas possibilidades para benefícios no que tange ao sequestro de carbono da atmosfera para a mitigação dos efeitos do aquecimento global. Uma dessa possibilidade é estocar carbono em produtos de madeira, enquanto a floresta manejada cresce novamente (por isso o conceito “sustentável”) sequestrando mais carbono da atmosfera. A segunda forma é através de mudanças nas práticas de exploração, de forma mais consciente, que podem reduzir expressivamente o dano à floresta remanescente, e a consequente emissão de carbono.

As práticas de manejo florestal afetam a taxa de sequestro de carbono nos ecossistemas florestais. Entretanto, ainda não é nítido como a influência antrópica e as diferentes atividades afetam o sequestro de carbono nas florestas. Neste caso, as decisões de manejo florestal podem ser uma forma e meio efetivo de custo para reduzir a emissão líquida de carbono para a atmosfera, com este efeito dirime as mudanças climáticas globais. 
As diferentes formas de manejo florestal como: tratamentos silviculturais, números de anos do ciclo, intensidade de desbastes influenciam em uma determinada floresta ser considerada fonte ou sumidouro de carbono. Os diferentes cenários do manejo dependem do período do tempo considerado: os determinados fluxos de carbono são maximizados em ciclos mais curtos (de 30 a 40 anos) ou em ciclos mais longos (acima de 100 anos para as condições temperadas). O manejo florestal sustentável é uma estratégia extremamente válida para manejar as florestas tropicais, esta ação evita o desmatamento e reduz o impacto do uso das florestas tropicais nas trocas de gases com a atmosfera.

A fixação de carbono na floresta é resultado parcial de intensivo manejo florestal. Alguns autores como Seidl, R. Rammer, W. Jänger, D. Currie, W.S. et al. com relação ao artigo: “Assessing trade-offs between carbon sequestration and timber production within a framework of multi-purpose forestry in Austria” da tradução (Avaliação de compensações entre o sequestro de carbono e a produção de madeira dentro de uma estrutura multifuncional na Áustria) do ano 2007. Fizeram uma pesquisa aprofundada sobre a correlação entre o sequestro de carbono e a produção de madeira de maneira sustentável em uma floresta de múltiplo uso na Áustria. Concluíram que o sequestro de carbono da atmosfera é bem maior nas florestas manejadas sustentavelmente do que nas florestas não manejadas. Esta afirmação indica que os custos estimados apontam que o sequestro de carbono através do manejo florestal sustentável é um meio eficiente para a redução do CO2 atmosférico. No estudo de Richards e Anderson em 2001 releva que a redução de carbono na atmosfera por meio dos sumidouros da biomassa e aumento do sequestro, pode ter custos bem mais baixos ou comparáveis ao controle das fontes emissoras.

Fontes: 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.